História da F.PR.J.

A Federação Paranaense de Judô (F.PR.J.) foi fundada em 7 de outubro de 1961 por um grupo de mestres e professores que acreditavam nos ideais e no potencial do Judô.

A F.PR.J. foi formada a partir da união de três entidades:
Liga Londrinense de Judô, de Londrina
Associação Assaiense de Judô, de Assaí
Clube Esportivo Cultural Uraiense de Judô, de Uraí

Vale lembrar que a Associação Assaiense de Judô tinha em seu comando o mestre japonês Sadai Ishihara, graduação 9º Dan, que faleceu aos 88 anos e é tido como um dos pioneiros do esporte no Paraná. Sadai foi aluno do mestre Jigoro Kano, da academia Kodokan, no Japão, que é tido como o pai do judô e um grande mestre do jiu-jitsu. Sadai é tão importante para a nossa história que detém o título de presidente de honra da F.PR.J. 

Ao longo de mais de 50 anos, passaram pela entidade sete presidentes:
Gentil de Almeida Campos (1961/1967), de Curitiba;
Jaime Matsuo Kuwamoto (1967/1973), de Londrina;
Miguel Martins Fernandes (1973/1979), de Curitiba;
Makoto Yamanoushi (1973/1983 e 1990-1993), de Curitiba;
Paulo Ayr Mikoski (1983/1990) de Curitiba;
Renato Fruehwirth (1994/2006) de Cascavel;
Luiz Hisashi Iwashita, atual presidente, assumiu o cargo em 2007.


Confira abaixo a reportagem da revista Ippon, de janeiro de 2013, sobre a história do judô paranaense.

O judô no Paraná
Por Josmar Couto

Virgilio (2000) e Suzuki (1994) relatam que o judô paranaense teve seu início em 1935, no município de Assaí, localizada a 45 quilômetros de Londrina, ao norte do estado. Inicialmente, um grupo de seis amigos (Shunzo Shimada, Shiro Suzuki, Hideo Takikawa, Yutaka Tanabe e os irmãos Ueda) sem grandes anseios, decidiram praticar o caminho suave, treinavam na Associação de Funcionários da Fiação Bratac. Nesse caminho, em 1937, surgiram alguns idealistas como Matsumaro Sakurada, Tarsuo Ueno, ItssukeNishimura, Sussumo Nomura e Tsukasa Itami. Acreditando na ascensão do esporte, fundaram, em 1937, uma filial da Ju-Kendô Renmei. A sede dessa entidade tinha sido criada em São Paulo e objetivou divulgar o judô e o kendô em território brasileiro. A sede foi inaugurada com grandes festividades, tendo como professores de judô, Kikuti e Shiro Suzuki, e de início 24 alunos. O trabalho promissor foi interrompido durante a segunda guerra mundial e suas instalações confiscadas pelo governo municipal.

Sete anos após o final da guerra, mas preciso no ano de 1952, o caminho suave volta a ser trilhado em território paranaense, o judô renasce em Assaí e segue sua caminha para Londrina, Curitiba, Rolândia, popularizando-se dentro do estado. É impossível falar de judô no Paraná e não citar o nome de Sadai Ishihara, graduação 9º Dan, um verdadeiro patrimônio do judô brasileiro, foi aluno da Kodokan de Tókio, participou do Torneio do Imperador, no qual apenas os melhores eram convidados. Sadai chega ao Brasil em 1932 e vai para Ibitinga-SP, depois muda-se com sua família para Assaí e, em 1945, começa a dar aulas de aulas na Seção Cedro, região rural da cidade, e em 1952, na escola Fuji. A cidade se tornou o berço do judô e com a grande procura de alunos, muitas vezes vindo de outras cidades, e em 1954, construiu sua academia com 200 metros quadrados de tatames. Em 1957, a academia chegou a ter 170 alunos e conquistando quase todos os títulos paranaenses que disputaram desde 1952.

Contudo, o judô paranaense se desenvolveu e espalhou pelo estado a partir dos anos 50. Em 1961, foi fundada a Federação Paranaense de Judô, surgindo da junção de três entidades: Liga Londrinense de Judô, da cidade de Londrina; Associação Assaiense de Judô, do Município de Assaí; e, Clube Esportivo Cultural Uraiense de Judô, com sede na cidade de Uraí. Participaram da assembleia de fundação da Federação Paranaense de Judô e os eleitos para os seguintes cargos foram: Major Gentil de Almeida Campos (presidente), Sadao Massuko (vice-presidente), Luzuru Ogawa (secretário geral), Shoiti Tida (conselho fiscal), Saburo Nakatsukasa (diretor técnico), Tomoteru Kita (tesoureiro), também participaram da reunião os professores Minoru Kamada e Atsushi Kawassaki, e os atletas João Munhoz e Liogi Suzuki.  A nova entidade teve como primeiro presidente Major Gentil de Almeida Campos (1961/1967, Curitiba), e seus sucessores foram: Jaime Matsuo Kuwamoto (1967/1973, Londrina), Miguel Martins Fernandes (1973/1979), de Curitiba; Makoto Yamanoushi (1973/1983 e 1990/1993, Curitiba), Paulo Ayr Mikoski (1983/1990, Curitiba), Renato Fruehwirth (1994/2006, Cascavel) e Luiz Hisashi Iwashita, de Curitiba, atual presidente, assumiu o cargo em 2007.

Os judocas paranaenses têm muito a agradecer aos pioneiros, homens que dividiam as tarefas do campo com o compromisso de praticar o caminho suave, deslocando grandes distâncias após um dia árduo de trabalho pelo simples prazer de treinar judô. O Paraná também tem que agradecer a todos esses homens de coragem que contribuíram para o crescimento do esporte sendo que muitos deles trabalharam no anonimato. Ao trabalho de todos os presidentes e suas equipes de trabalho que sistematizaram a entidade, organizaram eventos, cursos, clínicas e promoveram esse estilo de vida que é o judô. Cada judoca contribuiu com um pouco de si, os pioneiros tiveram a corajem de sonhar com algo maior e os presidentes trabalharam pelo judô, mas foi na década de 90 que Renato Fruewirth, apoiado por Juan Carlos Riveros, Rogério Buzanello e Antônio Komatsu deram um grande salto para a estruturação administrativa da Federação. Na gestão desse visionário, a entidade cresceu, foi descentralizada em forma de delegacias regionais, conquistou sua sede própria, veículo para locomoção da diretoria até os eventos, três áreas de tatames sintéticos olímpicos importados e levou um grupo de professores para aperfeiçoamento técnico na Kodokan (Japão). Luiz Hisashi Iwashita assumiu em 2007 e continua esse trabalho, melhorando o que foi conquistado e investido no conhecimento dos professores, objetivando uma melhora técnica do judô dentro do estado, com cursos de Nage-No-Kata, Katame-No-Kata, Credenciamento Técnico, Arbitragem ente outros. A arbitragem do Paraná também cresceu muito nas ultimas décadas, Juan Calos Riveros foi Coordenador de Arbitragem na década de 90 e conquistou o grau de Árbitro Internacional FIJ ”B” (continental). Já no século XXI, seguindo o caminho crescente da arbitragem paranaense, o professor Edilson Hobold, atual Coordenador Estadual de Arbitragem, conquistou a titulação máxima da arbitragem judoística, sendo promovido a Árbitro Internacional FIJ ”A”. Atualmente, outros cinco árbitros do estado são classificados como árbitros internacionais: Jorge Luiz Menegelli, Liogi Suzuki, Reinaldo Francisco, Roberto Nagahama e Vitor Cesar Moreira.

Após a fundação e organização da nova entidade o estado seguiu seu caminho glorioso no judô e vários atletas fizeram história em nível nacional e internacional, marcando seus nomes para sempre na história do judô paranaense. Liogi Suzuki brilhou no final da década de 60 e início de 70, conquistando o bicampeonato brasileiro (1967 e 1969), e também mais quatro títulos de nível nacional, dois Vice-campeonatos Brasileiros, Campeão Sul-americano e Vice-campeão Mundial Universitário.

Ney de Lucca Mecking tem em seu currículo 30 campeonatos paranaenses, em várias categorias entre os anos de 1968 e 1981, conquistou o Tetra Campeonato Brasileiro e 18 outras títulos a nível nacional. Outros atletas levaram com honra as cores do judô paranaense, entre 1980 e 1990, entre eles Rinaldo Caggiano que sagrou-se campeão dos Jogos Pan-americanos de Indianápolis (EUA), no ano de 1987. Outro nome de destaque foi Rubens Tempski, conquistado a medalha de bronze no Mundial Junior disputada em Roma na Itália. Rogério Querubin foi Bicampeão Universitário na sua categoria e no absoluto, em 1987, e Campeão Sul-americano no ano de 1985. Ainda nos anos 90 e início do século XXI, vários atletas conquistaram títulos nacionais, mas em 2009 o Paraná volta a brilhar no cenário mundial com Henrique Minikowisk da Silva vice-campeão Mundial Sub-17.

O atleta de maior destaque do judô paranaense é Rafael Silva, peso pesado integrante da Seleção Brasileira de Judô, coleciona em seu currículo a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, é Tetra Campeão Pan-americano, Tricampeão Sul-americano, Campeão no Jogos Sul-americanos no peso e absoluto, três vezes campeão e um vice em Copas do Mundo de Judô, Prata no Grand Slam de Paris, Ouro no Masters Top 16 Almady, e prata nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara.

Show Buttons
Hide Buttons